Adolescente que pediu trabalho após devolver celular consegue Emprego

Asmego deve contratar jovem como auxiliar de almoxarifado, em Goiânia, desempregado retornou celular ao dono e trocou recompensa por trabalho.

O adolescente Pablo Júnior Oliveira de Paula, de 16 anos, que devolveu ao dono um celular que encontrou na rua e trocou a recompensa em dinheiro por ajuda para achar um trabalho, passou por algumas entrevistas de emprego e deve ser contratado, em Goiânia. O caso repercutiu nas redes sociais e ele pode começar a trabalhar como auxiliar de almoxarifado na Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego).

O adolescente, que está desempregado há três meses, passou por algumas entrevistas de emprego após receber diversas ofertas. A mais recente foi na Asmego, nesta quinta-feira (23). Mesmo antes de chegar para a entrevista Pablo acreditava que conseguiria a vaga. “Essa agora eu acho que vai dar certo. Essa daqui eu estou confiante”, disse.


Após a entrevista, o juiz Eduardo Pires mostrou interesse em contratar o rapaz. Ele pediu que o adolescente tirasse a carteira de trabalho e levasse os documentos pessoais na próxima quinta-feira (2) para ser contratado.

O magistrado também pede que ele volte a estudar para garantir um futuro melhor, já que o adolescente parou de ir à escola no 5º ano para ajudar no sustento da mãe dos três irmãos. “Você só vem trabalhar conosco se você estudar, porque só avança na vida, só tem condição de avançar aquele que se dedica, aquele que estuda”, afirmou.

Após receber a resposta positiva, Pablo agradeceu e se comprometeu a seguir as exigências. “Obrigado por essa oportunidade. E vou me dedicar muito”, garantiu.

Caso de honestidade
Pablo encontrou e devolveu um celular que custava R$ 2,5 mil ao dono, o analista de redes Nikolas Soares Valério. Após receber o aparelho e ter a recompensa de R$ 200 recusada, ele conta que ficou impressionado com a atitude do rapaz, que queria um trabalho.

“O fato dele não se interessar pelo dinheiro e querer ajuda para o emprego, para arrumar um emprego, para mim foi o que tocou”, disse.

O adolescente pediu ajuda para arrumar um emprego. Nikolas publicou a história nas redes sociais com o currículo de Pablo e, em uma semana, a postagem recebeu 14 mil curtidas e 2, 5 mil compartilhamentos.

Além das propostas de emprego, o adolescente também recebe o reconhecimento de várias pessoas, que o parabenizam pela honestidade. A mãe dele, a costureira Lucilene de Paula, ressalta que tem orgulho do filho por ter tomado a atitude correta. “É justo você chegar na pessoa e entregar o que é dela. Todo mundo tinha que ser assim”, realata.


Fonte: G1

Imagem em destaque: Foto/Reprodução internet


DEPOIMENTOS