Como responder perguntas comuns em entrevistas de emprego

Processos seletivos são diferentes, mas algumas perguntas sempre aparecem nas entrevistas. Listamos aqui as mais frequentes, juntamente com algumas dicas de como respondê-las, confira:

– Fale um pouco sobre você…

A pergunta é simples. Tão simples que muita gente se enrola na hora de responder. Esse não é o momento de fazer uma retrospectiva da sua vida pessoal ou profissional. É melhor começar falando de experiências legais que podem mostrar o que você tem em comum com a empresa ou com a vaga.

– Como você ficou sabendo da vaga?

Antes de tudo, o candidato deve demonstrar interesse. Se você ficou sabendo por alguém que trabalha na empresa, diga o nome da pessoa. O mesmo se isso aconteceu através de um site, revista, etc. Aproveite para falar do que chamou a sua atenção para essa posição.

– O que você sabe sobre a empresa?

Pesquisar sobre a empresa antes da entrevista é o mínimo a ser feito. O recrutador não espera que você tenha decorado missão, visão,  valores e reconhecimentos da empresa, mas sim entender a sua visão sobre isso. Ou seja, como os seus ideais e objetivos podem estar alinhados com os da organização.

– Por que você se interessou pela vaga?

De novo, mostre seu interesse. Se não tiver muito interesse para demonstrar nesse momento, isso pode significar que você está se candidatando para o trabalho errado. Fale sobre o porquê de fazer esse trabalho naquela empresa, e não em qualquer outro lugar do mundo.

– Quais são suas maiores qualidades?

Melhor do que ter um texto decorado sobre o que você imagina que o recrutador quer ouvir (gosto de trabalhar em grupo; sou bastante dedicado; sou proativo), é recomendável ser sincero. Saber reconhecer suas reais qualidades demonstra autoconhecimento. Melhor ainda se você souber fazer um link com situações reais onde você demonstrou esses comportamentos.

– Quais são os seus defeitos?

Fazer uma lista na hora de falar das qualidades é fácil, mas na hora dos defeitos… Independente de qualquer coisa, o importante é você resistir à tentação de soltar um “não sei”, como resposta. É fundamental também, reconhecer onde você precisa melhorar. Seja sincero e tente mostrar que você já identificou esses comportamentos e adotou algumas soluções para que eles não atrapalhem na sua vida profissional. Não tente aparentar o que você não é.

– Qual foi a sua maior conquista profissional?

É hora de mostrar como você fez a diferença nas suas experiências anteriores de trabalho. Descreva uma situação, a sua responsabilidade no início, o que você acabou fazendo e, obviamente, qual foi o resultado disso.

– Como você se vê em dez anos?

O recrutador quer ver o quanto você é realista sobre a sua própria carreira e quanto os seus objetivos estão alinhados com essa vaga. É sobre como você enxerga o que deve ser feito para chegar aonde você quer chegar em cinco, dez ou vinte anos. Nessa hora sim, seja honesto, inclusive se a resposta for um “não sei”. Reconheça que algumas experiências podem te ajudar a ter objetivos mais claros.

– Qual é o seu trabalho dos sonhos?

Melhor controlar a vontade de responder jogador de futebol, chef de cozinha, blogueiro, sommelier e qualquer outra coisa que não tenha nada a ver com a vaga que você quer. Uma boa ideia é escolher algo que esteja conectado com os seus objetivos.

– Que tipo de ambiente de trabalho você prefere?

O ideal é que essa resposta esteja alinhada com o ambiente da empresa. Se não estiver, de novo… talvez você esteja se candidatando no lugar errado. A entrevista é uma ótima oportunidade de vivenciar o ambiente da empresa por algumas horas. Se você não se enxerga trabalhando ali, melhor procurar outra coisa e não desperdiçar tempo – tanto o seu, quanto o do recrutador.

– Por que você saiu do seu último emprego?

O mundo do RH é bem pequeno, onde mentira tem perna curta. Seja sincero sobre seu motivo para sair do seu último emprego, inclusive se você foi mandado embora. Em ambos os casos, é importante não falar da sua ex-empresa de maneira negativa. Saiba reconhecer o que você levou dessa experiência.

– Por que tem esse intervalo no seu currículo?

Se você passou muito tempo fora do mercado do trabalho buscando uma oportunidade (ou viajando, ou se dedicando à algum outro projeto, etc), isso costuma chamar a atenção e com certeza vai aparecer na entrevista. Seja direto e fale sobre suas atividades nesse período e como elas contribuíram para que você se desenvolvesse mesmo sem estar trabalhando.

– Por que você decidiu mudar de carreira?

Mudar de carreira não tem nenhum problema. Aliás, tentar coisas diferentes até encontrar o que realmente ama faz parte do processo, da realização profissional. Mas é importante saber falar sobre a motivação que esteve por trás dessa mudança. É legal quando um candidato consegue fazer uma conexão entre experiências que, aparentemente, não tem nada a ver para explicar como ele chegou onde está hoje.

– Quantas bolinhas de tênis cabem dentro dessa sala?

Sim, esta pergunta já foi feita, por incrível que pareça. Mas fique tranquilo, nem tudo está perdido. Na realidade, o número pouco importa. O recrutador só quer saber como funciona a sua linha de raciocínio. Não precisa fazer uma equação perfeita, mas siga uma lógica razoável (sim, até vale pedir papel e caneta).

– Você tem alguma pergunta?

Falamos muito que a entrevista é o momento da empresa te conhecer, mas também é a sua chance de conhecer a empresa. Aproveite para tirar suas dúvidas sobre o clima, a área, as políticas da empresa, etc.

Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/como-responder-perguntas-comuns-em-entrevistas-de-emprego-fgv?trk=hp-feed-article-title-editor-pick

One Depoimento

Conseguiu seu emprego através de nosso site? deixe seu Depoimento

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DEPOIMENTOS